segunda-feira, 27 de julho de 2009

O teatro virou a ante-sala da pizza – Parte 1: Sociedade brasileira

"Vivemos em um país desacostumado ao ato de pensar." A primeira parte da série que faz uma crítica à sociedade brasileira e a seu comportamento em relação ao teatro.


Blá, blá, blá, shap, shrap, cof, cof, trim, trim ?..Quem nunca ficou irritado com todos os pequenos barulhos que fazem parte de um espetáculo? Celular, papel de bala, conversa, tosse: a lista é interminável. E, se você se incomoda, imagine quem está no palco! Sete Minutos é uma comédia sobre uma noite em que um celular interrompe Macbeth. Possuído, o ator (Antonio Fagundes) resolve fazer um acerto de contas com a platéia. O que não vai ser fácil. Elenco e espectadores partem para um insólito embate em que o que está em questão é o amor ao teatro e as diferentes formas de vivê-lo.”

Você ja ouviu falar da peça Sete Minutos, escrita e estrelada por Antônio Fagundes? Provavelmente não. A comédia, como ja foi dito acima, trata de um ator que se enraivece com uma platéia excepcionalmente barulhenta e mal-educada e entra em uma reflexão sobre o teatro.

Por que estou falando da peça? Bem, tenho prazer de estar participando de uma montagem amadora dela. Estou no papel que apelidamos de “Velho”. Trata-se de um espectador que não gosta nem um pouco da atitude do ator de parar a peça e mandar todos embora. Não vou me estender aqui, pois fazer uma resenha da peça ou de seus papéis não é de meu interesse AGORA.

A peça nos passa uma mensagem importante sobre a situação do teatro no Brasil. Na primeira parte dessa série de posts entitulada “O teatro virou a ante-sala da pizza”, tratarei sobre a elitização da platéia.

“Vivemos em um país desacostumado ao ato de pensar.”. Esta fala de Antônio Fagundes exprime muito bem a situação brasileira. Mesmo com a corrupção, a crise mundial e os outros inúmeros problemas que afligem o país, a maioria dos brasileiros só pensa em duas coisas: Futebol ou Caminho das Índias. É triste, mas é verdade.

E por que no teatro isso seria diferente? As platéias estão sempre cheias de um mesmo público: a elite. É sempre a mesma elite que vai assistir todas as peças. Você pode me dizer: “Mas o teatro é caro”. Eu lhe responderei: Não. Não é questão de dinheiro. O meu grupo de teatro coloca ingressos a 2 reais e apenas as mesmas pessoas continuam vindo assistir. Não falta dinheiro. Falta educação, hábito, cultura.

Mas o que realmente falta é interesse. A maioria da população não está nem aí para o teatro. Só querem saber quem venceu o Campeonato Brasileiro ou sobre a Maya e o Raj.

“Os estádios de futebol, os bingos, os bares, as filas de loteria esportiva continuam lotados de gente que nunca foi ao teatro. Tudo isso custa caro. Mas para a maioria da população, apenas o teatro custa caro.”. – Sete Minutos

E o que fazemos para resolver isso? Nada. Segundo o site da Copa de 2014 – Brasil, o custo estimado para construção e reforma dos estádios já chega aos R$ 10 bilhões. Dez BILHÕES de reais investidos em estádios de futebol. Como diria Antônio Fagundes: POMBAS! Quantas escolas poderiam ser construídas? Quantos hospitais? Quantas casas? Quantas pessoas poderiam ser beneficiadas com o dinheiro?

E mesmo assim a população continua sua vidinha assistindo aos jogos de futebol e às novelas. Indo aos bares e aos estádios de futebol. Aos bingos e às loterias esportivas. Como se nada estivesse acontecendo.

Os políticos roubam. A Floresta Amazônica é desmatada. A violência aumenta. Mas as pessoas só entram em sites de notícias para lerem fofocas da vida dos famosos. “MAX TERMINA COM FRANCINE”. “O ESTILO EXTRAVAGANTE DE LADY GAGA”.

É a triste realidade de nosso país.



PS: Pessoal, não esqueçam de se inscrever no meu feed! Por favor! Abração a todos vocês e obrigado por lerem o blog.

5 comentários:

  1. Mesmo eu, fanático por futebol concordo com tudo o que disse! A preocupação do brasileiro é mto fútil! Futebol é paixão nacional, sim! Mas antes disso, devemos nos concentrar na vida além do campeonato brasileiro e claro, além do raj e a maya (hUAHUahuHAUh)

    ResponderExcluir
  2. É a pura verdade o que foi dito, se as pessoas se importassem mais, se interesassem mais, o Brasil com certeza não estaria nessa infeliz realidade. Parabéns pela iniciativa, incrível.

    ResponderExcluir
  3. nhaim caiooooo amei tanto o post de baixo quanto esse, concordo com tudo que vc disse, falta de cultura e ignorancia nao existe só para o teatro, mas com a moda tbm! enfrento isso todo dia e é dificil tirar a imagem de glamour que a moda tem... mas um dia a gnt consegue amigs!

    ResponderExcluir
  4. Deve ser bem bacana montar uma peça. Gostaria de ver a da Christie, mas isso é na Inglaterra. :D

    ResponderExcluir
  5. Eu tinha escrito um comentário imenso ... verdadeiramente gigante, mas não sei bem como o meu computador que me ama de paixão decidiu rir da minha cara durante uns segundos e deletou tudo ... sintetizando o que foi dito anteriormente:

    Concordo com a maior parte das coisas que foram ditas, todas as quais bastante bem escritas, um fato importante a ser frisado.

    Aqui em Portugal a problemática exposta por você é totalmente igual, a preferência louca por uma novela ou um jogo de futebol em vez de um teatro, de um filme, ou até de um livro, é comum nos dias de hoje.

    Ai no Brasil realmente não posso comentar, mas infelizmente, aqui em Portugal, o preço de ingressos para teatro são bastante elevados, bem como o preço de livros. Dependendo da peça em cena ou da obra a ser obtida, os valores podem rondar entre os 10€ e os 30€, ou seja, entre os 27 e os 31 reais.

    Apesar disso, quem teoricamente não tem dinheiro para obter um livro de qualidade ou ir assistir a uma peça simbólica, terá depois dinheiro para comprar o ingresso para ver a peladinha de futebol ... realmente muito triste.

    Enfim, resta a todos nós, aqueles que temos prazer em assistir a situações que envolvam cultura, tentarmos seduzir os restantes ignorantes para esse mundo bastante mais rico.

    PS: Atenção, ignorância não é ofensa. Atendendo ao mesmo modo que o Caio iniciou o seu blog, "ignorância faz referência à falta de saber ou ciência", portanto, se essa falta for colmatada, não existirá mais a necessidade do uso desse adjetivo.

    ResponderExcluir

 
BlogBlogs.Com.Br